You are currently viewing Público do XVII FIA recebe bênçãos de Nossa Senhora de Nazaré

Público do XVII FIA recebe bênçãos de Nossa Senhora de Nazaré

Na noite desta terça-feira, 27, os profissionais de Administração que participam do XVII Fórum Internacional de Administração (FIA) receberam uma surpresa: a visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré. O evento, que acontece em Belém do Pará, pausou a programação de painéis e palestras para que o público pudesse acolher a imagem com devoção, respeito e fé.

Nossa Senhora foi recepcionada pelo coordenador Nacional do FIA e diretor de Relações Internacionais e Eventos do CFA, Adm. Gilmar Camargo, e pelo presidente do Conselho Regional de Administração do Pará (CRA-PA), Adm. Fábio Lúcio. O anfitrião do evento conduziu a imagem até o palco do FIA.

No local, o vigário geral da Arquidiocese de Belém, Monsenhor Agostinho Cruz, celebrou uma benção especial. Nessa ocasião, o público se rendeu a emoção e o auditório foi coberto pelas bênçãos da Virgem Maria.

O Monsenhor falou que a imagem representa a comunhão do ser humano com Deus. “A Virgem Maria, representada na imagem de Nazaré, é a nossa resposta de fidelidade a Deus”, disse. O sacerdote ressaltou, ainda, que todo ser humano nasce com desejo de Deus, mas que sozinho o homem é incapaz de Deus. “Por isso, Deus mesmo se sujeitou a nascer de uma mulher. Ele usa da intermediação de uma mulher para vir ao encontro da nossa humanidade”, ensinou.

Além disso, o Monsenhor lembrou que o Círio de Nazaré não é apenas uma comemoração. “É um evento que deve provocar no coração humano uma atitude de mudança radical”, explicou.

Não tenhais medo

Citando São Bernardo, o Monsenhor lembrou que “que nunca se ouviu dizer que alguém, tendo recorrido à vossa proteção, fosse por Vós desamparado”. “O poder de Maria é suplicante. Aquilo que ela pede ao seu filho, Ele concede”, afirmou, citando as Bodas de Caná.

Além disso, o sacerdote recordou a aparição da Virgem Maria a Juan Diego, no México. Naquela ocasião, Nossa Senhora de Guadalupe disse ao menino: “Não tenhais medo. Não estou eu aqui, que sou a tua Mãe?”. “Você, Administradores, que têm a missão de conduzir, liderar, planejar e organizar, não tenham medo. Ela está aqui é ela é vossa mãe. Peçam a Mãe que o filho atende”, reforçou Monsenhor 

O sacerdote citou algumas das virtudes de Maria, como a obediência à vontade de Deus. “As virtudes de Maria nos servem de exemplo para que possamos alcançar o caminho da felicidade. Para alcançarmos essa felicidade, temos que trilhar o caminho da sabedoria de Maria até chegarmos a Jesus. Quem segue os passos de Maria não se perde de Jesus”, reforçou o celebrante.

Uma das pessoas mais emocionadas foi a conselheira federal pelo estado do Mato Grosso, Admª Norma Sueli. Ela também esteve no cortejo que conduziu Nossa Senhora de Nazaré até o palco e agradeceu o privilégio de participar do momento.

Bastante emocionado, o presidente Fábio Lúcio agradeceu a Deus pelo sucesso do FIA e destacou a importância do momento em receber a imagem da padroeira do Pará  no maior evento de Administração do mundo e às véspera da grande festa religiosa dos paraenses, o Círio de Nazaré.

Festa reúne milhares de fiéis

A festa Católica acontecerá dias depois do FIA. O Círio de Nazaré reúne cerca de 2 milhões de pessoas nas ruas da capital paraense para celebrar a fé e a devoção à Nossa Senhora de Nazaré. A romaria é realizada pela Igreja Católica Apostólica Romana há mais de 200 anos em Belém e foi reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial pelo Iphan e declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO.

Nossa Senhora de Nazaré é um dos títulos dados a Maria, mãe de Jesus. A devoção teve início com uma famosa aparição e milagre ocorridos em Portugal e espalhou-se pelas colônias portuguesas. No Brasil, a devoção a Nossa Senhora de Nazaré tem grande expressão em vários locais, em especial no estado do Pará.

A devoção a Nossa Senhora de Nazaré foi introduzida no estado pelos jesuítas, há mais de 200 anos. Consta que a imagem foi encontrada pelo caboclo Plácido José de Souza no ano de 1700, às margens do igarapé Murucutu. Plácido levou-a para sua casa e no dia seguinte a imagem havia desaparecido. O caboclo tornou a encontrá-la no igarapé, recolhendo-a novamente. O fato repetiu-se duas vezes até que foi construída uma pequena capela no local. Com o aumento da devoção, foi construída a Basílica de Nossa Senhora de Nazaré nesta localidade, hoje Belém do Pará.

Ana Graciele Gonçalves
Assessoria de Comunicação CFA

Deixe um comentário