O presidente do CFA, Adm. Mauro Kreuz, concedeu entrevista ao Portal Guarany Júnior. Veja o que ele diz sobre a realização do XVII FIA, em 2022, em Belém

O presidente do CFA, Adm. Mauro Kreuz, concedeu entrevista ao Portal Guarany Júnior. Veja o que ele diz sobre a realização do XVII FIA, em 2022, em Belém

1. O que representa para o Sistema CFA/CRAs a escolha do CRA-PA como anfitrião do XVII FIA?

R – A realização do Fórum Internacional de Administração, em sua edição XVII, em 2022, no CRA do Pará, representa de forma emblemática uma grande vitória da profissão. Um CRA que tinha sérios problemas, deu a volta por cima e hoje vai liderar o maior evento do Sistema CFA/CRAs de dimensões internacionais. Isso nos enche de orgulho, nos enche de satisfação, nos enche de alegria e mostra que o CRA-PA voltou a brilhar na constelação do Sistema CFA/CRAs e já é um exemplo maravilhoso para a nossa profissão.

2. Considerado o maior evento da Ciência da Administração no âmbito internacional, qual a expectativa pelo fato do FIA ser realizado na Região Amazônica?

R- A Amazônia é na verdade um templo sagrado de interesse mundial, pela sua diversidade, pela sua riqueza em todas as dimensões, ela representa muito para o Brasil e em especial para todo o mundo. Por isso que o mundo inteiro se preocupa com a Amazônia, porque, de fato, apesar de estar no Brasil, ser do Brasil, ela tem impactos e interesses geopolíticos e geoestratégicos, pela sua importância para o clima do planeta, para a biodiversidade do planeta, para a biomedicina, enfim… para muitas pesquisas importantes que podem ajudar a melhorar a qualidade de vida dos brasileiros e eu diria da humanidade. Então, é de fato muito relevante fazermos esse XVII FIA no Pará, liderado pelo CRA-PA e na dimensão da contingência Amazônica que para nós é de fato estratégica e de fato, muito importante.

3. Qual a importância da abordagem no XVII FIA, em um dos fórum a ser trabalhado, o tema que trata sobre a inclusão dos profissionais 50+ como diferencial competitivo?

R- tema da diversidade geracional, é um tema hoje que está na agenda do mundo do trabalho e, inclusive, aqui no Brasil. Tanto que recentemente eu fiz um artigo, onde refleti um pouco sobre este tema tão especial, tão importante e estratégico na governança das organizações públicas e privadas. Compreender de forma ampla, de forma sociológica, emocional, filosófica e antropológica a questão da diversidade regional torna-se um tema que precisa cada vez mais ser abordado e muito bem administrado nas organizações públicas e privadas. Por isso, eu acho da maior relevância que durante o FIA a gente possa discutir essa temática da inclusão dos profissionais 50+ como um diferencial competitivo nas organizações. Entendo que Administração pelo seu ecletismo, pela sua natureza, enquanto ciência eclética, metodologia, técnica, deverá chamar para si como vanguarda este tema e ser um protagonista da discussão dele no âmbito das corporações.

Acho sumamente importante nós refletirmos sobre isso e começarmos a conscientizar as organizações sobre como lidar com esta diversidade geracional, os cuidados que deve ter e obviamente os ganhos operacionais e estratégicos que deverão advir, caso as organizações consigam fazer a gestão adequada dessa diversidade geracional, em especial no mundo do trabalho competitivo, complexo, volátil e regido por uma tecnologia disruptiva que precisa ser incorporada nos padrões comportamentais de todos os profissionais, em especial dos profissionais da Administração para se manterem com alta performance e, dessa forma, serem competitivos o tempo todo nos ambientes corporativos.

Clique aqui e leia a matéria no Portal Guarany Junior!

Deixe um comentário

Fechar Menu